quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

A revolução se aproxima - Palavras de Valdemiro - II Ato

Dessa vez era eu que estava fumando um cigarro. Pedi um tempo a Valdemiro, antes de ele prosseguir com sua divulgação sobre a verdade do mundo.
Enquanto fazia fumaça, pensava sobre o Sistema de Reserva Fracionária criada pelos bancos:
“Se imprimirmos dinheiro, chama-se falsificação, mas quando os bancos fazem isso, chama-se AUMENTAR A RESERVA DE DINHEIRO.”
Fiquei preso nesse único pensamento: Como os bancos conseguiram esse poder?
Antes mesmo de me dirigir ao Valdemiro, ele já vinha em minha direção explicando:
- Aposto que você está estacionado no mesmo pensamento que eu fiquei ao saber sobre o esquema dos bancos, como eles conseguiram essa liberdade de criar dinheiro à vontade. 
Bom, ao invés de ficar apenas pensando, fui atrás das respostas e descobri que no ano de 1910, na Ilha de Jekyll, localizada no estado da Geórgia, Estados Unidos, representantes dos Rockefellers, Rothschilds, Morgans e outros bancos privados, reuniram-se secretamente para desenvolver a legislação que iria criar a Reseva Federal. Descobri sobre tudo isso através do senhor Ed Griffin, que escreveu literalmente, tudo o que se passou nessa reunião. Segundo Griffin, os bancos centrais são cartéis dos bancos, que se associaram aos respectivos governos dos países onde operam. E a ele foi dado o poder monopolizado sobre a criação do dinheiro da nação. Foi isso que os políticos deram aos bancos, como um “presente” pela parceria. Em troca, os bancos prometeram criar dinheiro do nada, só que de forma legal, toda vez que o governo peça. 
Valdemiro ainda contou que no ano de 1913, dois anos depois da reunião secreta, foi fundado a Reserva Federal, e junto com ela a Receita Federal. Valdemiro sacudiu meu ombro e disse: 
- Comece a juntar as peças!
Nem foi preciso juntar porra de peças nenhuma. Tava na cara! Os bancos junto com os políticos criaram a Receita Federal, para justamente lançarem o “imposto de renda”, para pagarmos as dívidas feitas pelos nossos governantes e os juros dos bancos. 
Não tem como negar a existência desse sistema, onde apenas alguns lucram. Bastam analisarmos, os ricos é minoria, enquanto os pobres...
Cada vez que ouvia a história de Valdemiro, me indignava e me amedrontava em saber que somos escravos que andam aparentemente livres.
- Quem controla o dinheiro, controla o mundo, e muito poucos controlam o dinheiro. Valdemiro olhou-me fixamente e continuou:
- Se eles já possuem uma vasta fortuna, o que será que eles querem? Qual será seu objetivo final? É aqui que começa o caos real! A dominação global.

Eles controlam o dinheiro, peça fundamental para isso. Também controlam a energia, a agricultura e o comércio mundial. Também estão comprando as fontes de água mineral por todo o mundo. Eles têm a saúde em seus bolsos, e estão tentando esconder todas as alternativas naturais. 
Para o plano seguir sem intervenções, eles tem que controlar quais informações pode chegar até nós e como reagimos a elas. Lembre-se que eles controlam nossa educação, mas ainda existem formas de pesquisa independentes, formas de compartilharmos informações. Um bom exemplo disso é a internet, mas que se pararmos para analisar, ela também está sendo atacada. 

Não sei se você recorda, que no ano de 2012, precisamente no dia 19 de janeiro, o site “Megaupload” foi fechado e tirado do ar pelo FBI, sob acusação de que o site abrigava uma série de conteúdos piratas. Ou seja, “INFORMAÇÃO”. 
Outros sites foram tirados do ar e outros ainda podem sair em breve. Basta eles descobrirem uma forma, enquanto isso, eles utilizam a própria internet para nos vigiar. A melhor forma de espionagem são os sites de redes sócias. São divertidos, é um mundo de interação, onde publicamos nosso dia a dia, onde estamos, aonde vamos, com quem estamos, quem são nossos amigos. Publicamos nossos sentimentos, necessidades e pensamentos de uma forma que a diversão ilusória promovida pelas redes sócias, não nos deixam perceber a armação por trás de tudo.
Diariamente passamos informações e nem notamos. Mas a nossa cegueira vai além e nunca nos demos conta que a manipulação está acontecendo há anos, bem diante de nós e nunca nos questionamos.
Para haver a dominação completa, a obediência deve ser controlada. Eles têm que tirar nossos direitos. E aí começa um plano especifico para isso: Espionar cidadãos comuns e registrar todos os aspectos de nossas vidas. 
O reality show conhecido como Big Brother, é mais ou menos, o que acontece com a gente. Somos vigiados todos os dias, por satélites, câmeras, telefones e atualmente com a internet. 

Em cada parte do planeta, existem aqueles que guiam secretamente esse plano e eles são conhecidos por vários nomes, Illuminati; Comitê dos 300; A Nova Ordem Mundial ou aquela que todos conhecem bem, mas nunca pararam para refletir, a Maçonaria. Uma sociedade filantrópica e secreta. Existem, no mundo, aproximadamente seis milhões de integrantes espalhados pelos cinco continentes. Quem faz parte desse grupo que sempre se encontram atrás de portas fechadas e o que eles discutem? São sempre pessoas do alto escalão da sociedade em qualquer cidade do mundo. 
Já percebeu que a maçonaria possui em seu símbolo “o olho que tudo vê”.
Já percebeu quantas corporações carregam esse símbolo? Tire um tempo e faça uma pesquisa e veja que sempre esse símbolo aparece entre os ricos.

Valdemiro expressava-se com raiva, quase agressivo. Mas não tinha como não ser assim! Perceber que somos apenas peças de um jogo, apenas para servir e divertir alguns privilegiados. 
Valdemiro continuou sua odisseia:
- Depois das reuniões secretas dessas tais entidades, pare e perceba as transformações que vão acontecendo gradualmente em cada cidade, em vários aspectos, sociais, econômicos, governamentais, militar, na saúde, etc. Onde for preciso por obediência, eles atacam. 
A primeira parte desse plano de dominação foi implantada de uma forma quase imperceptível e inteligente. Como já tinha dito antes, quem controla a riqueza é uma minoria, e a forma mais fácil de manipular uma maioria, é fazer com que ela mesma faça. 
A estratégia é simples, dividir para conquistar.
E é dessa forma que eles nos mantém em conflito, entre nós mesmos. Vou explicar de forma resumida e simples, para que perceba o quanto somos cegos:
Eles criaram os partidos políticos, os vermelhinhos, os de amarelo, azuis, etc. E nós há anos, sempre acreditamos que os problemas vêm deles. Começa então a primeira divisão de nós mesmos, os de direita, os de esquerda, etc. Quando na verdade, todos os partidos servem de fato ao mesmo plano. E é dessa forma que seguem nos dividindo, seja com a política, com as religiões criadas para isso. Mas a melhor e eficaz forma de divisão que eles puseram em nós, é o medo do que as outras pessoas irão pensar de você! Reflita! Eles ditam as normas da sociedade. O que é considerado certo ou errado, moral ou imoral, bem ou mal, normal ou insano, possível ou impossível. Dessa forma eles criam um cerco. Quem segue as normas deles, vivem dentro desse cerco, acreditando fielmente naqueles padrões impostos. Dessa forma, você é considerada por todos, digamos que uma pessoa normal. Agora, se você sair desse cercado e começar a manifestar sua originalidade, seja simplesmente pela forma de se vestir, pela sua opção sexual, pelo gosto musical, ou qualquer manifestação diferente das normas ditadas pela sociedade, você será julgado, apontado, discriminado! E o pior, não são os grandões que vão apontar o dedo, são os que também estão na merda, e continuam cegos pela farsa. 
Agora pense em quantas pessoas já desistiram de se libertar, com medo de serem julgadas.

Eles criaram um exército de pessoas que impõem essas normas uns aos outros. Toda uma população humana de carcereiros, que pulam em cima daqueles que descumprem essas regras. E o melhor de tudo, é que quando pensamos em quebrar as regras, não passa em nossa cabeça “o que os bancos e os políticos vão achar disso”, mas sim, “o que nossos familiares, amigos, colegas de trabalho vão pensar de mim?”. 
Dessa forma eles permanecem invisíveis para todos e nós, seguimos lutando entre nós mesmos. Tem mais alguma pergunta antes de tentar dormir? 
Valdemiro sorriu sarcasticamente, pois ele tinha certeza, dormir seria uma missão impossível após descobrir a farsa do mundo. Mas, ainda assim, lhe fiz a última pergunta, por hoje pelo menos:
E se um político honesto entrar no poder e tentar melhorar realmente o seu país?
Valdemiro gargalhou, zombando realmente da minha cara:
- Como você é inocente meu amigo! Você acha mesmo que existe algum político honesto? 
Pra começar, a maioria que concorre à eleição, já faz parte do esquema, outros participam como laranjas. Aqui no Brasil é ainda pior, a manipulação dos votos com essa "urna eletrônica" é ainda mais eficaz.
Durante a votação, eles já vão manipulando. Mas, tudo bem. Vou seguir sua inocência. Vamos supor que você é eleito presidente do Brasil e quer realmente melhorar tudo. O plano para desarticular suas boas intenções será mais ou menos assim:
Eles sabem que o Brasil possui recursos que desejam, vamos citar o petróleo que está em ascensão. Então, eles vêm até você e providenciam um grande empréstimo para o País, porém, a maioria do dinheiro vai direto para corporações americanas e não para o Brasil.
Essas corporações constroem grandes projetos de infraestrutura aqui no Brasil, como usinas elétricas, ferrovias, portos, parques industriais, coisas que ajudam bastante os ricos, mas quase nunca os pobres. Na verdade os pobres sofrem, pois as dívidas tem que ser pagas, e são empréstimos enormes, e o seu pagamento significa que os pobres não irão obter educação, saúde e outros serviços sociais. E ao Brasil, foi infligida essa grande dívida de propósito.

Simples e fácil, eles colocaram você, o presidente honesto, dentro dos seus planos. Devendo milhões, os bancos voltam, só que dessa vez para cobrar e como o País não tem como pagar, então começam os favores do tipo, venda de companhias nacionais, venda de recursos naturais mais em conta, voto a favor na comissão da ONU, ou até mesmo, o envio de tropas do exército para missões, como aconteceu no Iraque. É dessa forma que eles têm conseguido gerenciar um império mundial, com poucas pessoas sabendo que eles fazem isso. 
Valdemiro como sempre, finalizou o assunto de forma que tirou meu sono por completo:
No início achei impossível isso acontecer tão em surdina, pois o ser humano é difícil de manter segredos, e ainda mais esconder um plano como esse num nível de controle e total descrição. 
Primeiramente, temos que tirar da cabeça a ideia de que as coisas não funcionam, apenas por incompetência do governo. Mas infelizmente, as pessoas creem fielmente nisso. 
É óbvio que eles têm uma forma de ocultar o que realmente acontece no sistema, conseguindo tudo o que desejam, tendo todo sucesso nisso. Você lembra quando teve aquela epidemia de vendas em forma de correntes? A cada novo membro, você recebe mais por ter entrado antes. É essa mesma estrutura simples, que se não fosse simples, não funcionaria. Basicamente uma pirâmide, onde se analisarmos, toda organização hoje, não importando se é uma multinacional, universidade, governo, sociedade secreta, todas elas são em forma de pirâmide. Dessa forma quem está no topo, gerencia o quanto devemos saber sobre o sistema. Informam as pessoas apenas o que devem saber para cumprirem o seu papel e nada mais. Quem está no topo sabe o verdadeiro programa dos bancos, em que direção está indo e quais são seus motivos. 

Para não restar dúvidas de como a pirâmide funciona de forma eficaz, vamos recordar o Projeto Manhattan, que desenvolveu a bomba atômica na segunda guerra mundial, e se manteve em segredo mesmo tendo mais de 130 mil homens trabalhando nele.
Ou então, pense nos mortos aqui no Brasil durante a ditadura militar. Porque ninguém sabe de nada?
Entendeu finalmente para que serve a democracia agora? Percebeu para que serve, o seu ato de bosta de sair de casa, votar e eleger alguém? 
A ditadura perfeita terá as aparências da democracia. Uma prisão sem muros na qual os prisioneiros não sonharão sequer com a fuga. Um sistema de escravatura onde, graças ao consumo e ao divertimento, os escravos terão amor à sua escravidão.
Vamos tentar descansar um pouco. Amanhã cedo te conto mais sobre o plano de dominação global.




terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Satélite


Esse teu sorriso de lua, me faz quebrar limites
Vivo gravitando
Ah menina satélite... 
Teu corpo celeste é meu apetite.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

A pelada


Definitivamente, quarta-feira é dia de jogo
Todos em algum bar da cidade
Tomando uma breja gelada
Pra dar uma aliviada
Não custa nada
É só o meio da semana
Um copinho não vai matar ninguém
Milhões de barbados 
Assistindo homens correndo atrás de uma bola
Mas, o meu jogo é diferente
No meio daquela multidão de gente
Elas sempre estão presentes
Belas, cheirosas e bem arrumadas
Elas também curtem um pit stop na quarta
E elas parceiro, estão prontas pra jogar
Enquanto os ditos homens com H 
Viam os homens suados correndo 
Pra lá e pra cá
Eu procurava um garçom 
Já tinha encontrado o ser mais lindo daquele bar
Morena clara, bronzeada, cabelos castanhos
Quase loiro queimado do sol
Olhos castanhos num rosto de belos traços
Seios fartos, não pude deixar de notar de tão belos
E um corpo, digamos perfeito
Já com a primeira bala engatilhada e cheia de tinta
Pedi educadamente que o garçom levasse o bilhete até sua mesa
Já havia sondado a área, é a primeira coisa que faço
Ela estava entre amigas e amigos de trabalho
Não rolou nenhum tratamento ou carinho diferenciado para ela
Ele entregou o bilhete em suas mãos, sem dizer quem havia mandado
Imediatamente a mesa fez aquele "hummm" coletivo
Deixando sair o mais lindo sorriso que já vi
Ela meio sem graça olhava para as mesas
Tentando encontrar o anônimo
"Temos apenas o intervalo e o segundo tempo para marcamos nosso gol
Não posso sair daqui sem te conhecer
Sem ouvir tua voz
Sem beijar tua face e sentir a maciez da sua pele
Sem sentir teu cheiro
Não posso sair daqui sem olhar nos seus olhos
E te pedir um beijo
Quero ver se esse jogo vai ser zero a zero
Esse é o meu número xxxx-xxxx
Estou na praça em frente ao bar esperando você chegar"
O telefone tocou...

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Inadimplência


Estive onde estiveram muitos assim usados
Abandonados após o uso
Mas isso não é uma queixa
Apenas um resumo
De como ela faz
E de como ela é feita
Pois assim que ela me contará
Enquanto repousava sua cabeça sobre meu peito
Num colchão no chão
De uma casa de herança
Ela tragava o cigarro como um desabafo
Pois seu marido estava inadimplente 
Não comparecia ao confronto de carnes
Vivia muito ocupado com o trabalho
E ela carece de necessidades
De repente o quarto escureceu...
Só lembro-me de um tom:
Da brasa vermelha do cigarro
Igual à cor do edredom.

Em breve, o segundo ato


"Você tem uma depressãozinha, uma tristeza meio persistente, então decide ir ao médico, que lhe prescreve FLUOXETINA.
A Fluoxetina dificulta o sono. Então, o médico já empurra outro, o tal do CLONAZEPAM, o "Rivotril" da vida. 
O Clonazepam o deixa meio bobo ao acordar e reduz sua memória. 
Volta ao doutor. Ele nota que você aumentou de peso. Aí, prescreve SIBUTRAMINA.
A Sibutramina o faz perder uns quilinhos, mas lhe dá uma taquicardia incômoda. 
Novo retorno ao doutor. Além da taquicardia, ele nota que você também está com a pressão alta. Então, prescreve-lhe LOSARTANA e ATENOLOL, este último para reduzir sua taquicardia. Resumindo, notou como eles lucram em cima de todos nós? 
Confesso que tremi ao ver um sorriso desesperado na face de Valdemiro, ao me mostrar tão claramente o ciclo de como "eles" estão manipulando o mundo. E ninguém percebe. Mas, Valdemiro me fez tremer ainda mais:
- Agora há algo mais assustador, que apenas vender anti-depressivos, soníferos, etc. É inventar uma doença, para anos depois, lançar a cura e lucrar milhões com coquetéis de medicamentos."

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Inércia em movimento


Às vezes me da vontade de escrever
Mas nunca sei em que
Se é no que creio
Se é no que acho
Se é um pretexto 
Ou algo de propósito
Só sei que começo sem saber pra onde
Se é para o passado
Se é para o futuro
Talvez no presente me mantenha seguro
Só sei que escrevo
Sem saber o que vai sair
Sem saber quais serão seus frutos
Mas alguma semente está contida aí
Diretamente da mente
Os pensamentos abstratos
Das noites que não durmo.


sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

A revolução se aproxima - Palavras de Valdemiro - I Ato


Essa publicação será dividida em três capítulos, para que todos possam digerir as ideias de Valdemiro. Que nada mais é, que um simples e exemplar motorista particular, que retornou agora ao Brasil, após morar por 42 anos nos Estados Unidos.
Há 36 anos, Valdemiro foi motorista da família Rockefellers. Uma das mais ricas do mundo, por serem, vamos assim dizer: criadores do “Banco.” Eles e os Rothschild, os Morgans, os Carnegie, entre outras hoje em dia. É a partir daqui que damos início.

“A revolução se aproxima – Palavras de Valdemiro” 


I Ato

Valdemiro já estava com planos de voltar ao Brasil, e já vinha preparando seu retorno. Tinha conseguido e conquistado tudo que um ser humano almeja: um trabalho prazeroso e bem tranquilo; um excelente salário; uma vida completamente estável; e ainda convivia com o alto escalão da sociedade americana. Mas, não importava nada mais disso. Quando a saudade bate, nada pode acalmar. Valdemiro anuncia que vai voltar e pede demissão da imensa mansão dos Rockefellers.
Numa madrugada de terça para quarta, mais ou menos, uma e vinte da manhã, o Sr. Nelson Aldrich Rockefeller, bate na porta marrom, detalhada de molduras feita a mão, do quarto de Valdemiro e o desperta, sem que mais ninguém da casa saiba. E nessa conversa, no quarto escuro, no silêncio da madrugada, de pé mesmo, pois só foi o Valdemiro abrir a porta para o Sr. Nelson entrar e tranca-la novamente. Sem tempo para um “boa noite, Sr. Nelson!”, as palavras dele já iam em direção dos seus ouvidos:
- Gostaria que permanecesse no emprego, aumento seu salário. Mas, se não tiver opção, peço que só nos deixe quando eu encontrar outro motorista de confiança. Não precisa responder agora. Pense, durma e me responda amanhã, quando formos para o Rockefeller Brothers Fund. Estaremos a sós novamente, fica mais fácil de conversar. Boa noite!
- Boa noite! Respondeu apenas isso o Valdemiro.
Passou a noite pensando, pois dormir era impossível. Mas, Valdemiro não pensava na proposta, estava decidido a voltar. Ele pensava em porque tudo naquela mansão acontecia em surdina, sempre trancados, reuniões com presidentes e demais políticos, personalidades. E sempre nesse clima misterioso.
É a partir dessa noite que Valdemiro decide investigar de forma simples, mas cautelosa, os segredos que circulavam nessa mansão, e descobre uma aliança feita de trapaças, onde pequenos grupos são privilegiados.
Os dias seguem como de costume e Valdemiro, mantivera sua palavra. Permaneceu trabalhando até o Rockefeller encontrar outro motorista. Foi o tempo que ele determinou para a reunião de provas e evidências.
Já no primeiro dia de investigações, descobriu uma lista de nomes, que o Sr. Nelson, havia deixado sobre a mesa, após uma reunião entre banqueiros, no dia anterior. Nessa lista continha nomes de cientistas, filósofos, inventores, etc.
Valdemiro notou algo em comum com alguns nomes da lista: Todos aqueles que de alguma forma trabalhou em invenções para desenvolver “energia alternativa”, foram silenciados.
Para mim, ainda parece bobagem de um senhor que morou fora do país, chegar e me contar uma história sobre energia alternativa. Mas, é aí que está o espanto. Nunca ouvimos falar nessa tal energia, pelos motivos que Valdemiro vai detalhar agora:
No início do século XX, mas, precisamente em 1901, em Nova Iorque, um grupo de cientistas estava desenvolvendo alternativas para gerar a “energia alternativa”. Liderados por Nikola Tesla, que também estava na lista de nomes.
Tesla acreditava estar a um passo da conclusão do projeto, que ele chamava de “Energia Radiante”. Mas antes de concluir a grande invenção, seu financiador e também banqueiro, John Pierpont Morgan, cancelou as doações, pois perceberá que Tesla estava preste a criar algo que poderia transmitir eletricidade, sem necessidade de cabos.
Não fique surpreso, mas, John P. Morgan, tinha o monopólio das redes elétricas. E se até agora, você não percebeu o sobrenome “Morgan”, volte e releia todo o texto, desde o início. Isso é mais sério do que você pensa!
Nikola Tesla teve seu laboratório queimado e foi exilado.
Outros cientistas que tiveram invenções semelhantes interrompidos e que faziam parte da lista:
John Bedini
Adam Trombly
O caso do cientista e inventor John Hutchinson, é bastante curioso.
Ele criou a “bateria de energia livre”. Ou seja, uma bateria com energia sem fim, para qualquer produto que utilizasse energia para seu funcionamento.
John Hutchinson teve o laboratório invadido e os inventos foram confiscados pela polícia e pelo governo em 1978. E não parou por aí! Hutchinson continuou e foi punido da mesma forma em 1989 e em 2000.
O caso mais grave registrados nas pesquisas de Valdemiro foi à do cientista, inventor e criador da revista “Energia Infinita”, Eugene Mallove, que foi espancado até a morte misteriosamente em 2004.

Agora, assim como eu, leigo no assunto, vocês devem estar se perguntando:
“E daí?! O que tudo isso tem a ver?!”
É aí que começa o grande caos da humanidade.
Recentemente aconteceu um caso sobre um cientista que criou a “lâmpada eterna” (que nunca queima), e que foi ameaçado de morte, caso passasse adiante a invenção.
Porque será que todas essas invenções significantes e importantes para a humanidade não vão à frente, e porque sempre dessa forma ameaçadora?
Imaginem agora as megas indústrias sendo fechadas, usinas hidrelétricas abandonadas e todos os bancos perdendo cerca de “duzentos trilhões de dólares”, sem poder cobrar juros, pois não existem mais motivos de empréstimos grandiosos. Não existem mais megas produções. Não existem mais lucros reais aos bancos.
Para chegar a toda essa conclusão, Valdemiro fez uma investigação extensa, voltou ao passado para entender todo esse esquema que imperava diante do seu nariz há longos anos e ele nunca despertou para essa realidade.
É uma lógica óbvia! Imaginem nações que não dependem mais de petróleo. É o mesmo que imaginar grandes corporações energéticas indo à falência. Mas, essas grandes corporações tem dinheiro para tirar do seu caminho, qualquer um que apareça querendo destruir seu monopólio. E é aí que está o “xis” da questão:
O império de petróleo dos Rockefellers começou em 1870, quando John D. Rockefeller fundou a Standard Oil e se tornou o primeiro bilionário da América. Comece a juntar as peças.
Os Rockefellers também controlam a nossa comida. São os primeiros responsáveis pela mudança global da agricultura de larga escala, baseada em petróleo. Basta pesquisar sobre a “Revolução Verde”, dos anos 1960 e 1970. Uma produção em longa escala de fertilizantes, herbicidas e pesticidas a base de petróleo. Na onda da Revolução Verde, a divisão de ciências naturais dos Rockefellers, fechou uma sociedade com as grandes corporações de agricultura. Como uma nova moda, a Revolução Verde, tomou conta do mercado e a agricultura baseada em petróleo, trouxe novos e altos lucros para as indústrias petrolíferas. Mas as promessas que usavam nas campanhas para a utilização desses produtos, nunca foram cumpridas:
Acabar com a fome e promover a saúde com alimentos saudáveis.
A princípio a Revolução Verde aumentou a produtividade, pois qualquer pedaço de terra podia ser usado para produção. E então começou o caos da agricultura. Todos os fazendeiros utilizaram suas terras para cultivar alguma coisa. Extensas áreas de terra sendo contaminada por esses fertilizantes, megas corporações da agroindústria surgem, as pequenas granjas, as que permanecem cem por cento puras, estão desaparecendo, pois não tem como lutar contra os grandes. E foi dessa forma que contaminamos todo o nosso solo e hoje o que vemos em matérias de jornais? A luta por alimentos que não sejam à base de agrotóxicos.
Foi com o decorrer do tempo que fui juntando as peças desse enorme quebra-cabeça, que revelaria um plano macabro contra a humanidade.
Valdemiro conta que passou vinte e três dias na mansão do Sr. Nelson A. Rockefeller, antes de retornar ao Brasil. E foram durante esses breves dias, que ele reuniu e anotou todas as suas provas. Ele disse que levou quatro anos e meio, para organizar e encaixar cada prova e comprovar que existe uma teia que manipula o modo como vivemos atualmente.
Valdemiro lembra que em um desses dias, após uma reunião entre banqueiros, encontrou um papel com uma frase e com todas as assinaturas dos que ali estiveram presentes. A frase anotada era do “Henry Kissinger” e dizia:

“Quem controla a produção de alimentos, controla as pessoas.
Quem controla a produção energética, controla continentes inteiros.
Quem controla o dinheiro, pode controlar o mundo.”

No verso da folha, alguns rabiscos e anotações, que pareciam ter sido a pauta da reunião a sete chaves, deixou Valdemiro chocado com tais planos para dominar a produção de alimentos.
As grandes corporações trouxeram as químicas para a agricultura industrial e dividiu em três partes as ações que deveriam seguir em diante para o domínio completo dos alimentos.
A primeira etapa era a Engenharia Genética como medida de controle e produção de sementes;
A segunda era, patentear essas novas sementes, declarando-as como sendo propriedade privada. Dessa forma o plantio natural de sementes seria tratado como crime, um roubo! Roubo de propriedade intelectual.
E aí sim o terceiro e último ato, os tratados de livre comércio que deixariam as pessoas comuns, fazendeiros, agricultores, granjeiros, etc, sem a sua liberdade para o plantio e cultivo caseiro e independente, pois, seria crime!
E dessa forma simples, juntando peças, detalhes e pesquisando a história diante de nós diariamente, que Valdemiro descobriu o desenho da tecnologia de extermínio, que criariam sementes estéreis para impor uma maior dependência da humanidade a algumas corporações.
Cientistas, banqueiros, agricultura, energia, dinheiro...
Valdemiro viu que tinha duas áreas crucias, energia e alimentos, sendo controladas pela mesma elite de banqueiros e grandes corporações. E as consequências desse monopólio, tem sido devastadoras. Então ele decidiu ir mais a fundo e descobriu o mesmo padrão de controle em todas as áreas das nossas vidas, e o mais engraçado, sempre aparecem às mesmas famílias no controle, através dos bancos, ou das grandes corporações. Ou indiretamente, com suas grandes fundações.
Durante sua caça as provas, Valdemiro descobriu que os Rockefellers criaram a Associação Nacional de Educação, com a ajuda da Fundação Carnegie e depois da Fundação Ford.
Porque eles iriam se preocupar com nossa educação? Essa resposta tá na cara!
Criaram o padrão de ensino, para produzir uma força de trabalho dócil e obediente. Que se tornem empregados manejáveis e consumidores ansiosos.
Escolas prontas para criar hábitos, respostas condicionadas à autoridade. Por isso levamos anos reclusos aos estudos, para sermos domesticados aos padrões impostos pelos próprios grandões.
E não é só a educação que eles manipulam a saúde também faz parte desse jogo.
Foi ouvindo a essa parte do depoimento do Valdemiro, que me despertou algo que há tempos penso.
A Associação Médica Americana é financiada em grande parte pelos Rockefellers, que utilizam seus fundos para decisões e investigações na medicina.
De acordo com Deepak Chopra, médico e autor do livro “Peace Is The Way” (A paz é o caminho), a forma como o sistema médico está configurado, é totalmente errado. A educação médica é financiada totalmente por companhias farmacêuticas. Então, sempre há motivo para fabricar e vender o máximo de drogas possível. Uma forma rápida e efetiva de fazer dinheiro. Para o médico, para a farmácia, para a indústria, para todo estabelecimento médico.
Mergulhado em pesquisas, Valdemiro encontra o que temia encontrar: O caso do Dr. Royal Raymond Rife.
Nos anos 1920, Dr. Rife inventou um dos microscópios mais avançado do seu tempo. Também desenvolveu uma nova técnica chamada “Ressonância Coordenada”, que aparentemente podia destruir tumores cancerígenos assim como vírus.
Em 1934, em testes clínicos em conjunto com a Universidade do Sul da Califórnia, o tratamento do Dr. Rife foi testado em dezesseis (16) pacientes com câncer terminal. Em três meses, todos foram curados.
Pouco tempo depois, seu laboratório foi incendiado e seus arquivos perdidos.
Graças ao esforço de Morris Fishbein, chefe da área de imprensa da Associação Médica, Dr. Rife foi suspenso e arruinado, e assim como seu brilhante e promissor trabalho, esquecido.
Realmente é um grande choque, quando descobrimos que há alguém escondendo curas. E foi aí que me lembrei do papel que continha os três passos para a dominação alimentícia: “Patentes”.
Tudo tem a ver com patentes! Se uma companhia farmacêutica pode patentear e ganhar dinheiro com remédios, especialmente os que temos que usar constantemente, então é só isso que temos. Nem ouvimos falar em outras formas.
E não foi apenas o Dr. Rife que foi silenciado.
Rene Caisse tinha uma fórmula indiana antiga que era eficiente. Harry Hausksy e Max Gerson tinham remédios naturais que também funcionavam.
Se você resolver pesquisar sobre eles, a Associação Médica Americana, vai tentar fazê-los parecerem completos charlatões.
As mesmas forças que controlam a Associação Médica e seus fundos, também controlam a indústria farmacêutica. E eles têm um incentivo multi trilionário para suprimir curas que não poderiam ser patenteadas.
Saber que existem curas e não são usadas, me deixa angustiado. Quantas pessoas mais vão perder sua vida para o câncer? Quantas pessoas que amo vão morrer?
Valdemiro tinha os olhos tomados por lágrimas e me pediu um tempo, para tomar um copo d’água e respirar um pouco, antes de dar continuidade ao seu... Nem sei como devo chamar isso. Depoimento, declaração, loucura, imaginação, ou a verdade absoluta?
Enquanto o Valdemiro respirava, direcionei meu pensamento a todos os fatos que ele tinha me contado, e cheguei a uma conclusão inevitável e perturbadora:
Há uma elite de pessoas e de corporações que elas controlam que tomaram o controle monopolizado de energia, fonte de alimentos, educação e medicina. Praticamente todos os aspectos de nossas vidas. E eles conseguem isso, controlando o mundo das finanças. Não criando mais valores, mas realmente controlando a fonte do dinheiro.
 É como uma pirâmide:
Na parte de baixo, no nível inferior, estamos nós, vivendo nossa vida cotidiana.
Acima de nós está o governo, pessoas a quem foram dadas o monopólio da força, que usam para nos controlar e exigir o pagamento de tributos quer concordemos ou não.
Depois deles, vêm as corporações. Muitos dizem que agora, são as corporações e não os Estados Nações, que controlam o mundo. Batizaram-na de “corporatocracia”.
Para conseguir os recursos do mundo e controlar os mercados, as corporações devem ter acesso a dinheiro fácil. As grandes corporações então pegam seus empréstimos com baixas tarifas dos bancos. O que significa que aqueles que controlam os grandes bancos, a elite financeira, finalmente controlam as corporações. E assim concluímos nossa pirâmide tirânica.
Então por conta própria, pesquisei sobre o tal objeto de desejo, o dinheiro. Mas, pesquisei como ele funciona nos bancos e descobri sua mágica.
Quando pedimos um empréstimo de 15 mil ao banco, na verdade, eles apenas digitam 15 mil em sua conta. Não cunham moeda alguma, não imprimem dinheiro nenhum, não move nenhuma pedra preciosa de cofre, apenas digitam. Desse momento em diante você passa a pagar juros de um dinheiro que não existe, não existia e jamais irá existir. Acontece que o banco pode emprestar nove vezes a quantia que possui de dinheiro em seus cofres. Isto é possível graças a algo chamado de “Reserva Fracionada de Empréstimo”.  Isso funciona porque a Reserva Federal, ou qualquer banco central de qualquer País, é legalmente capaz de determinar a quantidade de reserva que um banco deve possuir. Nos Estados Unidos é algo em torno de 10%. Então, quando você deposita 10 mil no banco, o banco separa 10%, ou seja, mil, e depois empresta todo o resto do seu dinheiro (9 mil).
Digamos que outra pessoa entre no banco e peça um empréstimo de 9 mil para comprar um carro. O banco repassa os 9 mil que você depositou, e você paga e compra o carro novo de alguma pessoa, que vai e deposita o dinheiro em outro banco, que também faz parte do mesmo sistema financeiro. Os 9 mil segue o mesmo processo e continua, até aquele depósito inicial de 10 mil, converta-se em 100 mil de cada 10% separado. O banco tira 10 mil dos 100 mil e devolve o que realmente é seu, mas o sistema bancário criou 90 mil, apenas emprestando seu dinheiro!
Comento minha teoria com o Valdemiro, que estava na janela, fumando um cigarro. Ele me olhou e sorriu, pondo pra fora a fumaça dos pulmões e me contou mais sobre essa minha breve descoberta.
Aparentemente esse esquema começou com os ourives do século XVII, quando as pessoas negociavam em ouro. O ouro era muito pesado pra carregar por aí, então as pessoas guardavam em cofres e pegavam recibos de papel para comprovar. Estes recibos foram às primeiras moedas a circularem no mundo.
Como poucas pessoas sacavam seu ouro ao mesmo tempo, os donos de cofres, mais ou menos como banqueiros de hoje, foram criando mais recibos do que a quantidade de ouro que possuíam. Então passou a cobrar os juros sobre o ouro que guardavam. E foi assim que nosso Sistema de Reserva Fracionária nasceu. Com esse sistema, os bancos podem criar dinheiro do nada, enquanto o resto de nós tem que trabalhar duro para ganhá-lo.
Foi criada uma nova forma de servidão social, onde a maioria da sociedade agora trabalha para pagar suas dívidas com os bancos.
Valdemiro deu o golpe final citando a frase do Henry Ford, empreendedor e fundador da “Ford Motor Company” e da já citada “Fundação Ford”.
 
“É essencial que as pessoas da nação não entendam como o nosso sistema bancário e financeiro funcionam, pois senão teríamos uma revolução amanhã mesmo.” 

Continua...

Hoje, às 12 hrs


Essa publicação será dividida em três capítulos, para que todos possam digerir as ideias de Valdemiro. Que nada mais é, que um simples e exemplar motorista particular, que retornou agora ao Brasil, após morar por 42 anos nos Estados Unidos.
Há 36 anos, Valdemiro foi motorista da família Rockefellers. Uma das mais ricas do mundo, por serem, vamos assim dizer: criadores do “Banco.” Eles e os Rothschild, os Morgans, os Carnegie, entre outras hoje em dia. É a partir daqui que damos início ao “A revolução se aproxima – Palavras de Valdemiro”. 

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

A breve história de Mariana


Mariana com quinze anos decidiu que era hora de começar a trabalhar
Foi morar na gringa, sozinha
Mariana hoje vive muito bem, obrigado!
Aprendeu a falar inglês quando criança
Vendo sempre filmes legendados.

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Hoje vi TV


Tudo permanecia da mesma forma, de quando decidi não vê-la mais
O bombardeio de comerciais com a mesma oferta: “compre isso!”
Um noticiário, onde seu foco principal, foi a porra de um beijo gay de uma tal novelinha
Desde que nasci que sei que existem “gays”, e ninguém precisou me falar, ensinar 
Empurrar massivamente imagens e cenas, para que todos passem a aceitar
Mas no programinha de fim de tarde de domingo, eles pregam o preconceito e a humilhação humana
Colocando uma senhora que não tinha do lado esquerdo da boca, os dentes da frente
Exibindo-a como bruxa, toda vez que sorria
Toda humilhação diante de uma nação tapada, cega, burra e preconceituosa
Era pra ela ganhar um tratamento completo de beleza e dentário
Enquanto a outra emissora, que também tem seu programa de tarde de domingo
Exibia um cantor de axé, ainda fragilizado da sua cirurgia, doença, não sei o que foi
Que mal conseguia cantar e permanecer em pé por muito tempo
Mas a população quer ver o artista bem...
Assim como querem o bem, quando compartilham os vídeos de acidentes e tragédias alheias
Em seus lindos celulares com “whatsapp”
Só sei de uma coisa...
Eu desliguei.