quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Subestimado

Submergiu em silêncio
Na noite
Em estado submerso
Ficou
Os gritos do submundo
Calou
As fomes do sub- imundo
Parou
As regras de beleza subnutrido
Cegou
Todos de preto, no subsolo
Enterraram o amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário