sábado, 3 de dezembro de 2011

O jardim

Tudo começou em setembro.
Há princípio não entendi bem aquela primeira rosa, presa em minha porta.
Aí vieram mais rosas, diariamente.
Algumas com bilhetes, assinada pelo pseudônimo de admirador secreto.
Achei bobeira. Não dei tanta importância.
Tinha meu mundo lá fora, minhas conquistas e milhares de rapazes que não se escondiam. Que estavam ali sem enigmas.
Até que um dia, chegou uma mensagem dele em meu celular:
“Se existisse outra forma de você me sentir, haveria tantas outras formas de eu dizer.”
Comecei a ficar intrigada com tudo isso. Ele nunca, em nenhum dia se quer, com chuva ou sol, deixou de por a rosa na porta.
Ele nunca esqueceu de mim por nada. Sempre um bilhete com uma declaração de amor, uma poesia sempre tão bela.
Passei então a retornar as mensagens e assim conversávamos.
Tentei ligar, mas, ele não atendia nunca.
Ninguém mais me interessava. Somente ele.
Já não suportava mais aquela curiosidade e vontade de abraçá-lo forte.
Estava apaixonada pelo mais belo estranho que nem conhecia.
Hoje completam seis anos quando recebi um bombom de chocolate dele.
Confesso que me assustei. Já estava acostumada com as rosas.
Ao lado do bombom tinha um bilhete, que ao ler, me deu uma tremedeira do coração à alma:
“Te espero hoje às 21h na praça há duas quadras da tua casa.”
Contava as horas. Torcia para o tempo passar logo.
No horário marcado segui em direção a praça. A rua estava deserta e meu corpo confundia o tremor do frio com o da ansiedade.
Na praça só tinha uma pessoa, só podia ser ele, que ao ouvir meus passos, se virou sorrindo.
Sorri tímida. Logo eu, tão descontraída e atirada, me vi refém desse rapaz e já perto disse um quase mudo:
- Olá! Ele sorriu e respondeu:
- Oi! Que bom que veio. Senta aqui um pouco.
Não queria sentar, queria me jogar nos braços dele, mas, estava hipnotizada e faria tudo que ele pedisse.
Sentei e logo sua mão pegou a minha e puxou em direção a sua boca. Ele beijou minha mão! Estava completamente inerte!
Delicadamente arrumou uma mecha de cabelo que cobria meu rosto e ficou parado me olhando... Até eu quebrar o silêncio:
- Porque você demorou tanto pra se apresentar para mim?
Ele sorriu e respondeu:
- Demorei porque não quero te perder nunca nessa vida. Fiz tantos rodeios pra te seduzir e te ver buscando um sentido para tudo isso. Se eu fosse direto, você me rejeitaria.
Desde então, tenho comigo, as mais belas rosas do mundo.
E hoje pela manhã ele me fez mais uma surpresa. Mostrou-me antes de sair para trabalhar, o belo jardim que fez pra mim.
Agora estou aqui sentada na porta de casa, esperando ele chegar pra falar que o jardim do meu ventre irá florir.

3 comentários:

  1. Há flores por todos os lados, há flores em tudo que eu vejo.

    ResponderExcluir
  2. Agora que ficamos amigos de facebook, nos esquecemos no blog!!! Não pode isso! rsrs

    ResponderExcluir
  3. esse texto é daqueles que dá um friozinho bom na barriga de se ler. :) muito lindo.

    ResponderExcluir